Abrir menu principal
Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Prefacio


PREFACIO



Este trabalho representa a primeira tentativa de um estudo heraldico-genealogico nacional. Nada se havia feito até o presente, não acceitando o nosso meio, como não acceita ainda hoje, qualquer ensaio n'esse sentido.

Á deficiencia dos nossos conhecimentos historicos e á nossa incompetencia devem-se, na sua maior parte, os erros e omissões que n'elle se encontram. Além do pouco interesse que em geral observamos da parte dos que, mesmo ligados ao assumpto, não se prestaram a nos fornecer os dados necessarios a um maior desenvolvimento, verificamos que haviam desapparecido todos os Registros de armas e brazões concedidos desde 1822: diante de tão grandes difficuldades fomos forçados a um paciente e minucioso trabalho de reconstrucção, recorrendo ás fontes mais diversas.

O nosso intuito, publicando este ARCHIVO, é o de fazer reviver uma epocha mais brilhante do que aquella que ora atravessamos, sem commental-a e apenas descrevendo com a maior concisão aquelles que a produziram, provando eloquentemente que a grandeza de um paiz não se méde nem pela sua extensão nem pela sua fortuna, mas pela virtude dos seus homens.

A parte heraldica, com um formidavel esforço e absoluta imparcialidade, foi organisada a titulo puramente historico: os brazões brasileiros se não são primores de arte heraldica, são comtudo dignos de algum estudo. E por isso mesmo levamos adiante a nossa tentativa, apezar de conhecermos de antemão o insuccesso que talvez lhe esteja reservado.

Em Appendice, damos algumas Cartas de Brazões de Armas concedidas a não titulares, que compulsamos de uma relação authenticada e fornecida pelo fallecido Luiz Aleixo Boulanger, Escrivão da Nobreza e Fidalguia do Imperio, ao Visconde de Sanches de Baêna, que ainda a poude publicar, em appendice, no seu — «Archivo Heraldico-Genealogico». — Lisbôa, 1872 — fls. CXCIII a fls. CCXXX.

E, agradecendo a todos aquelles — em bem pequeno numero — que tão gentilmente nos auxiliaram, fomecendo-nos os preciosos dados que permittiram a realisação do pouco que fizemos, desejamos que outros mais felizes e com maior successo possam desenvolver esta parte, talvez a mais interessante.

Eis em poucas palavras a origem e o fim deste modesto trabalho, que lançamos em um meio tão pouco propicio...

Que importa?... O trabalho aqui está: o tempo fará o resto!...