Abrir menu principal

Archivo nobiliarchico brasileiro/Reis (Francisco Telles Cosme dos)

Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Reis (Francisco Telles Cosme dos)


REIS. (Francisco Telles Cosme dos). Juiz de Paz com exercicio na freguesia de Jacarépaguá; Cavalleiro da Ordem da Rosa e da de S. Gregorio Magno; fazendeiro e proprietario na freguesia de Jacarépaguá no municipio neutro.

Ascendencia e brazão, vêr Paschoal Telles Cosme dos Reis; e por differença no escudo uma brica de azul com a letra F de ouro. (Brazão passado em 2 de Setembro de 1868. Reg. no Cartorio da Nobreza, Liv. VI, fls. 101).

REIS. (Paschoal Telles Cosme dos). Fazendeiro na freguesia de Jacarépaguá, no municipio neutro, em cuja fazenda tem na respectiva capella a permanencia do Santissimo Sacramento por Breve de S. S. Pio IX, de 14 de Outubro de 1861; proprietario nesta Côrte, condecorado com o habito da Ordem de S. Gregorio Magno.

Filho de Nicolau Antonio Cosme dos Reis, e de D. Theresa Telles Cosme dos Reis. Neto paterno do Sargento-Mór Nicolau Cosme dos Reis, e de D. Leonidia Angelica do Espirito Santo, e por parte materna do Commendador Paschoal Cosme dos Reis. e de D. Catharina Josepha de Andrade Telles. Bisneto paterno de Carlos Cosme, e de D. Theresa das Dôres, e por parte materna do D.r Francisco Telles Barreto de Menezes e de D. Francisca Joaquina de Oliveira Brito. Terceiro neto por parte materna do D.r Antonio Telles Barreto de Menezes; padroeiro do Convento da ilha do Senhor Bom Jesus, em cuja egreja existe a Carneira para elle e sua descendencia, mandada fazer por seu filho o D.r Francisco Telles Barreto de Menezes; e de D. Catharina Josepha de Andrade. Quarto neto do D.r Luiz Telles Barreto de Menezes. Quinto neto de Francisco Telles Barreto de Menezes, e de D. Maria da Silveira, filha de André de Villalobos e de D. Isabel do Souto. Sexto neto de Diogo Lobo Telles de Menezes.

BRAZÃO DE ARMAS: Escudo esquartelado: no primeiro quartel em campo de prata, um leão de purpura, rompante. No segundo, em campo verde uma banda de góles, acoticada de oiro, saindo das bocas de duas cabeças de serpes. No terceiro, em campo azul, cinco estrellas de oiro de seis pontas em aspa. No quarto, de oiro, seis lobos de góles em duas palas. E no meio um escudete, tendo em campo de oiro um anel encoberto. Timbre: uma meia donzela vestida de oiro, com um escudo nas mãos, e por differença uma brica de azul com a letra P de ouro). Brazão passado em 29 de Agosto de 1868. Reg. no Cartorio da Nobreza, Liv. VI, fls. to8).

N. B. As armas são copiadas da esculptura da pedra tumular do Doutor Antonio Telles Barreto de Menezes, no seu jazigo na Capella do Convento da ilha do Senhor Bom Jesus (L. A. Boulanger).