Abrir menu principal

Archivo nobiliarchico brasileiro/Uruguay (Visconde com grandeza de)

Archivo nobiliarchico brasileiro
José Smith de Vasconcelos e Rodolfo Smith de Vasconcelos
Uruguay (Visconde com grandeza de)


URUGUAY. (Visconde com grandeza de) Paulino José Soares de Souza.

Nasceu em Paris, a 4 de Outubro de 1807.

Falleceu no Rio de Janeiro em 15 de Julho de 1866.

Filho do Physico-Mór D.r José Antonio Soares de Souza e de sua mulher

D. Antonia Magdalena Soares de Souza.

Casou com D. Anna Alvares de Macedo Soares de Souza, filha de João Alvares

de Azevedo e de sua mulher D. Maria de Macedo Freire.

Depois de cursar a Universidade de Coimbra, veiu formar-se na Academia de S. Paulo, onde, em 1831, tomou o gráo de bacharel em sciencias juridicas e sociaes.

Abraçou a magistratura, que abandonou quando já era Desembargador da Relação do Rio de Janeiro. Foi eleito Deputado á 1ª Assembléa provincial do Rio de Janeiro, e representou esta Provincia na Camara, nas 3ª a 7ª legislaturas de 1834 a 1848. Presidiu a Provincia do Rio de Janeiro por duas vezes, em 1836 e em 1840. Em 1849 foi eleito Senador por essa Provincia, foi cinco vezes Ministro de Estado, occupando a pasta da Justiça, no 4º Gabinete de 1840, da Regencia do Marquez de Olinda, e no 2º Gabinete de 1841; a dos Estrangeiros, no 3º Gabinete de 1843, no 10º de 1848, e no 11º de 1852. Em 1855 foi encarregado de uma Missão em Paris, para tratar da questão de limites com a Guyanna. O Visconde de Uruguay offereceu então, para chegar-se a uma solução, a linha intermediaria do Calçoene. O Governo de Napoleão III, por seu Ministro Drouyn de Lhuys, recusou-se a este accordo. Mais tarde o Governo Helvetico satisfez inteiramente as reclamações do Brasil, fixando definitivamente a linha do Oyapock, como limite com a Guyanna Franceza.

Foi nomeado Conselheiro de Estado em 1853, era do Conselho de S. M. o Imperador, Grande do Imperio, Official da I. Ordem do Cruzeiro, Grã-Cruz da I. Ordem da Rosa, de S. Januario de Napoles, da R. Ordem de Christo de Portugal, da Corôa de Ferro, da Austria, e do Danebrog da Dinamarca.

Na republica das lettras era membro honorario da Academia Tiberiana de Roma, da Academia Archeologica da Belgica, da Academia Britannica de Sciencias, Artes e Industrias, da Sociedade Zoologica de Acclimação de Paris, do Instituto Historico e Geographico Brasileiro desde 1839, etc.

CREAÇÃO DO TITULO: Visconde com grandeza por decreto de a de Desembro de 1854.