Abrir menu principal

As bichas pegaram forte

As bichas pegaram forte
por João Simões Lopes Neto
Publicada originalmente em sua coluna, Balas de estalo, em 2 de maio de 1889.


As bichas pegaram forte:
Agora é chupar no dedo;
Passou tudo, não há medo,
As bichas pegaram forte.
Já nem se guarda o segredo
Sobre as bicadas da sorte:
As bichas pegaram forte
Agora é chupar no dedo

Meter prego sem estopa,
Só faz um tolo sem arte;
Nem se faz por toda parte,
Meter prego sem estopa,
Viva o Pedro Malasarte,
Dizendo — depois da sopa:
Meter prego sem estopa,
Só faz um tolo sem arte...

Consummatum! Hosanna Deo!
Pr’a felicidade dos povos

Consummatum! Hosanna Deo!
Foguetes progressos novos,
Delírio! arrancar chapéus!
Consummatum! Hosanna Deo!
Pr’a felicidade dos povos.
(Miserere sem trovadores)

Seu Martins é muita coisa:
Proibir a dinheirama,
Depois do tal telegrama!...
Podeis, grande Visnú, tudo manda
Faremos rolhas ou diremos missa
Mas os níqueis, srs. são de justiça
Abranda, semi-Deus, essas entranhas
O caminho de Bertoldo até o Cristo
Temos feito, herói, e o tendes visto Níqueis
Papai