Bella Ciao (Resistência)

Bella Ciao (Resistência)
por Desconhecido
Este texto foi traduzido para a Língua Portuguesa através dos projetos de traduções colaborativas. Ele, todo o trabalho editorial e de diagramação envolvido, encontram-se licenciados sob os termos da GNU Free Documentation License e CC-BY-SA 3.0. É possível ver seu(s) tradutor(es) e colaborador(es) ao clicar na aba Histórico, acima do conteúdo.


Esta manhã eu acordei
Querida adeus, querida adeus, adeus, adeus, adeus
Esta manhã eu acordei
E encontrei um invasor.

Oh partigiano[1] me leve embora
Querida adeus, querida adeus, adeus, adeus, adeus
Oh partigiano me leve embora
Porque sinto que vou morrer.

E se eu morrer como partigiano
Querida adeus, querida adeus, adeus, adeus, adeus
E se eu morrer como partigiano
Você terá que me enterrar.

Enterrar-me lá em cima, nas montanhas
Querida adeus, querida adeus, adeus, adeus, adeus
Enterrar-me lá em cima, nas montanhas
Sob a sombra de uma bela flor.

E as pessoas que passarem
Querida adeus, querida adeus, adeus, adeus, adeus
E as pessoas que passarem
Dirão: "oh que flor bonita".

Esta é a flor do partigiano
Querida adeus, querida adeus, adeus, adeus, adeus
Esta é a flor do partigiano
Morto pela liberdade.

NotasEditar

  1. Termo italiano oriundo do termo partisan (membro de uma tropa irregular formada para se opor à ocupação e ao controle estrangeiro de uma determinada área). Trata-se do nome genérico dado aos membros da resistência italiana ao fascismo e à ocupação da Itália pela Alemanha Nazista