Caderno Ondas

Rio de Janeiro — 1883
14 anos de idade
obs. fundamental, para explicar a série de absurdos que há nestas páginas.[1]

1906 — Euclides

  • Correi, rolai, correi — ondas sonoras
  • Aurora
  • Clava…
  • No túmulo de um inglês
  • Fatalidade
  • Serenada
  • Em em lesto — veloz librar
  • Eu quero…
  • Reminiscência I
  • Tombos…
  • Ironia… (?)
  • Serenata
  • Ímãs
  • Tristeza
  • Paralelo
  • Verso e reverso
  • Horas de crença I
  • A Canalha
  • Oscilações
  • Horas de saudade
  • Varela
  • No campo
  • Andando…
  • Tiradentes…
  • Depois do combate
  • Depois do trabalho
  • Dantão
  • Marat…
  • Robespierre
  • Saint-Just
  • Na selva
  • Sonhando…
  • Gonçalves Dias (ao pé do mar)
  • Rebate (aos padres)
  • Orgulho
  • Reminiscência II
  • Agonia da crença…
  • Telas
  • Lux
  • O jaguar
  • Catequese (Soneto velho)
  • Os grandes enjeitados
  • O pescador (Canção)
  • A eterna luta
  • Ruínas
  • Fenômenos da Lua
  • Ridendo…
  • Despedida I
  • Num ângulo da rua
  • Num minuto de calma
  • A cruz da estrada I
  • Ferrea vox…
  • Sobre um seio
  • Sub umbra…
  • X
  • Viajando…
  • Eu sou republicano…
  • Estoicismo
  • A igreja abandonada
  • —Do cais—
  • Meis hora de descrença…
  • A queda da Batilha (14 de julho de 1789)
  • A estátua equestre
  • Álgebra lírica
  • Canção (ao pé do mar)
  • Um soneto
  • Choques
  • Comparação
  • O Cólera
  • Ao clarão das forjas
  • Cenas da escravidão
  • Uma tela do passado
  • Luiza Michel
  • Madame Roland
  • Conto
  • Obscurii lucis (Os Farrapos)
  • Noutes azuis
  • Último canto

NotasEditar

  1. Nota do autor na página de rosto do caderno.