Abrir menu principal
Capítulo perdido de Atos
por Desconhecido
O Capítulo perdido de Atos dos Apóstolos é o que supõe ser o fim do livro de Atos. Hoje em dia se reconhece que é uma fraude, feita para apoiar o Anglo-israelismo, doutrina que prega que as tribos inglesas eram descendentes diretas de hebreus, das tribos perdidas de Israel. Essa doutrina é considerada heresia pela grande maioria das denominações cristãs.


1E Paulo, cheio das bênçãos de Cristo, e abundando no espírito, partiu de Roma, determinado a ir para a Espanha, porque há muito tempo se propôs a ir para lá, e estava pensando em ir de lá para a Bretanha

2Porque ele ouvi durante sua estadia na Fenícia que certos filhos de Israel, desde a época do cativeiro assírio, escaparam pelo mar até as "ilhas distantes", como foi falado pelo profeta, e chamadas pelos romanos de Bretanha.

3E o Senhor ordenou que o evangelho fosse pregado até os confins da terra aos gentios, eàs ovelhas perdidas de Israel.

4E nenhum homem impediu Paulo; porque ele testificou corajosamente de Jesus aos tribunais e entre as multidões; e ele partiu com alguns irmãos que moravam com ele em Roma, e eles embracaram em Óstia, e os ventos o trouxeram seguramente até a Espanha.

5E muitas pessoas vieram das cidades e vilarejos, e do campo, porque ouviram falar da conversão do apóstolo, e os muitos milagres que se realizaram por ele.

6E Paulo pregou com poder na Espanha, e muitas multidões creram e se converteram, porque perceberam que ele era um apóstolo enviado por Deus.

7E eles partiram da Espanha, e Paulo e seus companheiros encontrando um navio em Armórica navegaram até a Bretanha, ele foram adiante, e passando pela costa sul eles chegaram a um porto chamado Rafino.

8Quando o apóstolo desembarcou em sua costa, grandes multidões dos nativos se encontraram com ele, e eles trataram Paulo de forma amável, e ele entrou pela porta oriental da cidade, e se abrigou na casa de um hebreu de sua própria nação.

9E na manhã seguinte ele veio e foi ao Monte Lud; e o povo se apertou pelo portão, e se reuniu na praça, e ele pregou Cristo a eles, e muitos acreditaram na palavra e testemunho de Jesus.

10E quando o Espírito Santo veio sobre Paulo, ele profetizou dizendo: Vejam, nos últimos dias a paz de Deus habitará nas cidades, e os habitantes serão numerados; e na sétima numeração do povo, seus olhos serão abertos, e a glória de sua herança brilhará ante eles. E as nações virão adorar no monte em foi testificada a paciência e grande sofrimento do servo do Senhor.

11E nos últimos dias novidades do evangelho serão assunto até longe de Jerusalém, e os corações do povo regozijarão, e vejam que as fontes serão abertas, e não haverá mais praga.

12Naqueles dias haverá guerras e rumores de guerras; e um rei se levantará, e sua espada será a cura das nações, e esse pacificador permanecerá, e a glória do seu reino será uma maravilha entre os príncipes.

13E depois de um tempos alguns druidas vieram a Paulo privativamente, e mostraram que pelos seus ritos e cerimônias eram descendentes dos judeus que escaparam da escravidão na terra do Egito, e o apóstolo acreditou nessas coisas, e deu a eles o beijo da paz.

14E Paulo habitou em seus aposentos por três meses, confirmando a fé e pregando Cristo continuamente.

15E após estas coisas Paulo e seus irmãos partiram de Rafino e navegaram até Atio na Gália.

16E Paulo pregou nas praças romanas entre o povo, exortando todos ao arrependimento e confissão de pecados.

17E vieram certos belgues para inquiri-lo sobre a nova doutrina do homem Jesus; e Paulo abriu seu coração a eles, e contou todas as coisas que aconteceram a ele, como que Cristo veio ao mundo para salvar os pecadores; e eles partiram, discutindo entre eles sobre as coisas que eles ouviram.

18E após muita pregação e trabalho, Paulo e seus companheiros passaram até a Helvécia, e vieram até o monte Pôncio Pilatos, onde aquele que condenou o Senhor Jesus caiu de cabeça e pereceu de forma miserável.

19E imediatamente uma torrente saiu da montanha, e jogou seu corpo em pedaços em um lago.

20E Paulo levantando suas mãos sobre a água orou ao Senhor dizendo: Ó Senhor Deus, dê um sinal a todas as nações que aqui Pôncio Pilatos, que condenou teu único Filho primogênito, caiu de cabeça no precipício.

21E enquanto Paulo estava falando, veio um grande terremoto, e a face da águas mudou, e a forma do lago se tornou como a do Filho do Homem agonizando na cruz.

22E uma voz veio do céu dizendo: Até Pilatos escapou da ira por vir, porque ele lavou suas mãos perante a multidão no derramar de sangue do Senhor Jesus.

23Quando Paulo e aqueles que estavam com ele viram o terremoto, e ouviram a voz do anjo, eles glorificaram a Deus, e foram poderosamente fortalecidos no espírito.

24E eles viajaram e chegaram ao monte Júlio, onde ficavam dois pilares, um à direita e outro à esquerda, erguidos por César Augusto.

25E Paulo, cheio do Espírito Santo, ficou entre os dois pilares, e disse: Homens e irmãos, estas pedras que vós observais este dia testificam da minha jornada; e verdadeira eu digo, elas permanecerão até o derramamento do espírito sobre todas as nação, nem o caminho será impedido através de todas as gerações.

26E eles foram adiante e chegaram no Ilírico, desejando ir à Macedônia na Ásia, e a graça estava em todas as igrejas; e eles prosperaram e tiveram paz. Amén.

Heckert GNU white.svg Este trabalho foi publicado nos termos da GNU Free Documentation License.