Abrir menu principal

Chora o Sol, a Aurora rìe

Chora o Sol, a Aurora rìe
Vilancete publicado em Villancicos, que se cantaram na Capella Real do Muito Alto, & muito Poderoſo Princepe D. Pedro Nosso Senhor Nas Matinas da Noite dos Reys no ano de 1671 (como Villancico V).


Chora o Sol, a Aurora rìe
Perolinhas de Mar a Mar,
Que ſe ella bem rìe,
Elle melhor chora,
Namorame o ſeu chorar.

Coplas.

Sol fermoſo, que naceo
Da Aurora mais pura, & bella,
Chora porque ria ella,
E ſe alegre todo o Ceo;
Tem o Peſebrinho cheo
De perolas, ſem coalhar,
Que correm atè encontrar
As que rìe a branca Aurora,
Que ſe ella bem rìe,
Elle melhor chora,
Namoroume o ſeu chorar.

Sol mais tenro, & namorado,
Que o mais amante Cupido,
Na palha jaz todo eſpido,
Porèm mais forte, & ouſado;
O Princepe deſejado
He, que agora quiz nacer,
E folga de padecer,
E com iſſo mais namora,
Que ſe ella bem rìe, &c.

Naceo da Aurora mais pura,
Que deu nova vida às flores,
Porquem tem cores melhores,
E cheira ſua fermoſura,
A noite, que inda era dura
Abranda ja ſeu rigor,
O Prado ſe vè melhor,
Que por Mayo, por agora,
Que ſe ella bem rìe, &c.

Naceo demais clara Eſtrella,
Que veſtio de lume o dia,
Que o Sol lume naõ teria
Saindo diante della;
Tenra Mãy, tenra Donzella,
Que em graça não tem igual,
Se nacera em Portugal,
Inda mais fermoſa fora,
Que ſe ella bem rìe, &c.
Chora o Sol, &c.