Abrir menu principal

De ti ausente


De ti ausente
por Ernesto Pires
Poema publicado em Camões e o amor.

Esta obra há sido completamente validado.

Quando longe de ti te vejo perto
E te abraço, nervoso a todo o instante,
O' minha bella e carinhosa amante,
Não sei se sonho ou se estou disperto.

Por teu olhar d'amor sempre coberto
Junto de ti quando de ti distante,
Ouço-te a voz gentil e sussurrante,
Ouço jurares-me o teu enorme affecto.

Em tudo que me cerca e me rodeia
Eu vejo a tua imagem carinhosa,
O' minha doce e terna Dulcinea.

Falla-me em ti, a madresilva e a rosa
E tudo a quanto eu levo a minha ideia...
Vejo-me preso em teu amor, formosa!