Abrir menu principal

Eterno amor


Eterno amor
por Ernesto Pires
Poema publicado em Camões e o amor.

Esta obra há sido completamente validado.

Se a morte me extinguir a mocidade,
Cortando o fio de penosa vida,
Julgar-me-has uma illusão perdida,
Haverá dentro em ti uma saudade?

Buscarás descobrir, na immensidade,
Quando a noite passar enegrecida,
Uma estrella serena e dolorida
Que te falle de mim, da eternidade?

Ou antes, esquecendo antigo enleio,
Extinguirás de vez, dentro em teu seio
A lava enorme d'um passado amor?

Se fôr assim, em noite tenebrosa,
Tu hasde ouvir minh'alma lacrimosa,
Magoadamente a suspirar de dor.