Abrir menu principal

Fabulas de Esopo/A Cegonha e a Rapoza

Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
A Cegonha e a Rapoza


FABULA XXXVII.
A Cegonha e a Rapoza.

Sendo amiga a Cegonha com a Rapoza, a Rapoza a convidou hum dia a jantar. Chegado o tempo, preparou a Rapoza ardilosa huma comida liquida manjar como papas, e a estendeo por huma louza, e importunava a Cegonha a que comesse. Mas como ella picava na louza, quebrava o bico e nada tomava nelle, com que se foi faminta para o ninho. Mas por se vingar, convidou a Rapoza outra vez; e lançou o manjar em huma almotolia, donde comia com o bico e pescoço comprido. E a Rapoza não podendo metter o focinho, se tornou para sua casa corrida e muito morta de fome.

MORALIDADE.

He gosto enganar ao enganador, e zombar de quem quer zombar de nós; e obrigação dos que zombão, e escarnecem, soffrerem bem zombarias leves e tomarem-as em graça.