Abrir menu principal

Fabulas de Esopo/O Homem pobre e a Cobra

Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
O Homem pobre e a Cobra


FABULA LVI.


O Homem pobre e a Cobra.

Hum Homem pobre costumava affagar e dar de comer a huma Cobra, que em sua casa trazia, e em quanto assim fez tudo lhe hia por diante. Depois por certa agastadura, fez-lhe huma grande ferida. E vendo que tornava a empobrecer, com muitas palavras e humildade lhe pedio perdão. Respondeo a Cobra: Eu de boamente te perdoo, mas não te ha de isto prestar para deixares de ser pobre, que esta ferida sempre me ha de doer, e sempre ha de estar pedindo vingança de ti.

MORALIDADE.


Quiz Esopo mostrar nesta Fabula o que costumão dizer: A quem aggravares não lhe creas, porque a memoria dos aggravos he eterna. Por tanto, quem injuriou algum amigo seu e depois se reconciliárão, entenda que por muito amigos que pareça estarem, e que no exterior mostre não lhe lembrar nada, lá no mais secreto do coração está guardada muitas vezes a memoria da injuria.