Abrir menu principal

Fabulas de Esopo/O Leão e o Rato

Fabulas de Esopo por Esopo, traduzido por Manuel Mendes da Vidigueira
O Leão e o Rato


FABULA LI.
O Leão e o Rato.

Estando o Leão dormindo, andavão huns Ratos brincando ao redor delle, e saltando-lhe por cima o acordárão. Tomou elle hum entre as mãos e estava para o matar; mas pelo ter em pouco e pelos muitos rogos com que lhe pedia, o soltou. Succedeo dahi a pouco tempo cahir o Leão em huma rede, onde ficou liado, sem poder valer-se de suas forças. E sabendo-o o Rato, tal diligencia poz, que roeo brevemente os laços e cordeis, e soltou o Leão que se foi livre em pago da boa obra que lhe fez.

MORALIDADE.

Duas cousas temos aqui que notar: primeiramente o agradecimento que se deve a qualquer boa obra, e em especial a quem perdoa algum aggravo, podendo vingar-se como este Leão podia. Segundariamente, quanto devem os poderosos estimar a amizade de qualquer homem, por mui fraco que seja; porque qualquer póde fazer mal, e se não podem fazer mal, todos podem fazer bem.