Ferro, fogo, frio e calma

Ferro, fogo, frio e calma
por Luís Vaz de Camões
MOTE


Ferro, fogo, frio e calma
todo o mundo acabarão;
mas nunca vos tirarão,

alma minha, da minha alma.


GLOSA
Não vos guardei, quando vinha,
em torre, força ou engenho;
que mais guardada vos tenho
em vós, que sois alma minha.
Ali, nem frio nem calma
não podem ter jurdição;
na vida sim, porém não
em vós, que tenho por alma.