Abrir menu principal

Wikisource β

Immensa dor


Immensa dor
por Ernesto Pires
Poema publicado em Camões e o amor.

Esta obra há sido completamente validado.

Do teu olhar a doce claridade
Deu novo rumo á minha triste vida,
Abriu-me a alma á luz da immensidade,
Tornou-me a esp'rança ha muito foragida.

E hade talvez, atroz preversidade!
Lançar de novo a alma redemida
Entre os fataes escombros da saudade
Essa que foi por mim compadecida?

Mostrar o sol a quem vive na treva
E lançal-o, depois, á noite escura,
Fugir de Adão a delicada Eva...

Senhora minha, se é assim tão dura
A consciencia que d'amor me enleva,
Será eterna a minha desventura.