Abrir menu principal
Interrupted paradise
por Luís Delfino
Publicada em Rosas Negras.


Olha aqui neste vale, aqui à beira
Desta corrente, aqui nesta frescura,
Aonde a água, que canta, e a grama fura,
Rebola em brocadilhos de ouro e cheira.

Sentemo-nos. — Que história! — A vez primeira
Que o acaso aqui nos trouxe, a pedra dura
Embrulhamos em ostros de ventura:
Lembras-te bem, não é? de que maneira?...

Hoje? — Os deuses não querem. — Lenhadores
Vêm por atalhos; rindo há perto gente:
E um rubro aroma, e uns beijos procriadores

Mexem folhas, que acende um pólen quente;
E a abundância dos ninhos e das flores
É contra nós inconscientemente...