Abrir menu principal

Já vi mosquitos por cordas

Já vi mosquitos por cordas
por João Simões Lopes Neto
Publicada originalmente em sua coluna, Balas de estalo, em 22 de setembro de 1888, utilizando o pseudônimo Job Riverde.


Já vi mosquitos por cordas,
Canários tirando sortes,
Formigas construir fortes,
Já vi mosquitos por cordas:
Várias amostras de mortes,
Ter importância os calhordas,
Já vi mosquitos por cordas,
Canários tirando sortes.

Vi os ursos, o Serino,
O elefante, três macacos;
Um lampeão feito em cacos,
Já vi os ursos, o Serino;
O Nicolau com dois tacos,
Jogar espada um menino,
Vi os ursos, o Serino,
O elefante, três macacos.

— Pues, Senõr — e sendo velha
Vi cousas de me espantar,
De boca aberta ficar:
— Pues, Senõr — e sendo velha
De medo estou a babar
Surgiu a tocha vermelha!
— Pues, Señor — e sendo velha
Vi cousas de me espantar!!