Abrir menu principal
O Fim do Mundo
por Joaquim Manuel de Macedo
Grafia e realces originais mantidos.


VI.


Não havia tempo a perder.

Começava-se a perceber o cometa sem o soccorro de instrumentos opticos.

Por ordem da policia, que despertara rabujenta, apagárão-se todas as fogueiras, e apezar disso já se sentia calôr como no mez de Janeiro.

Deitei a correr.

Entre as companhias de seguros não achei uma de seguros aéríos; contentei-me pois com a de seguros Maritimos e Terrestres, e segurei-me devéras : por este lado estava arranjado.

Principiei a minha obra, que devia ser nada menos do que uma escada que me levasse á pequena distancia da lua, contando dahi por diante fazer o resto da viagem em uma bem arranjada machina de balões de crinolina, que com antecedencia preparára.

Qualquer outro no meu caso talvez procurasse construir a sua escada de cima do Corcovado, da Gávia, ou do mais elevado ponto da serra dos Orgãos; mas eu, que tinha calculado tudo, comecei a construcção da minha de cima de montanhas muito mais importantes e das quaes talvez ninguém se lembrasse.

Peguei no Monte-pio, e carregando com elle sobre os hombros, encarapitei-o sobre o Monte de Soccorro; já tinha portanto duas montanhas uma sobre outra, e dahi foi que comecei a arranjar a minha escada.

Tomei como base ou primeiro degráo da escada o Banco do Brazil; com a alta de juros, só esse banco valia por mil degrãos ; em cima do Banco do Brazil colloquei o Banco chamado Rural e Hypothecario, e trepei pelas hypothecas como um macaco pelos ramos e raminhos da mais alta arvore ; sobre o Banco Rural puz o Banco Mauá, sobre este o Banco Agricola, sobre o Agricola o Banco Industrial e Agricola, sobre o Industrial e Agrícola o Banco do Rio de Janeiro, e em cima de todos elles accommodei a Caixa Hypothecaria, que também me prestou um alto e excellente degráo. Banco, sobre banco já eu tinha uma escada enorme : é verdade que os tres últimos bancos ainda precisavão de alguma obra para entrar em serviço activo ; mas a necessidade era urgente, e eu aceitaria mesmo um banco de pé quebrado.

Se não fosse o medo do cometa, creio que dado muito bôas risadas com os furores, raivas e desespero do aristocratico Banco do Brazil, ao ver-se por baixo de tanto banquinho democratico; eu o ouvi bradar dez vezes sem tomar folego : « Vou levantar os juros ! vou levantar os juros ! » mas, sem lhe dar resposta, fui cuidando em salvar-me do cometa.

Em um abrir e fechar d'olhos entrei pelos dormitorios dos prophetas, ou accendedores de gaz, ajuntei todas as suas escadinhas, e mercê d'ellas fui subindo pelos ares acima.

O medo emprestava-me azas, e eu voava como um passarinho : quando cheguei á ultima escadinha, lembrei-me de olhar para baixo.

Olhei, e nada vi.... um mundo immenso , mas um mundo com um enorme rabo estava entre mim e a terra.

Era o cometa !

Esse monstro horrivel tem um ponto de contacto com os vaga-lumes, que são uns pobres bichinhos da terra ; tanto elle como estes trazem fogo na extremidade posterior do corpo; mas os vaga-lumes são suros, e o cometa desenrola uma cauda tão comprida como o orçamento da despeza geral do imperio quando lhe addicionão os additivos.