Abrir menu principal

Ou por mim ou contra mim

Ou por mim ou contra mim
por João Simões Lopes Neto
Publicada originalmente em sua coluna, Balas de estalo, em 4 de Maio de 1889.


Ou por mim ou contra mim
E tomem pr’o seu tabaco!
Ou ser mimoso ou ser caco!
“Ou por mim ou contra mim”
Que nunca errou o meu taco,
Deixai correr o marfim!
“Ou por mim ou contra mim”!
E tomem pr’o seu taco...

A LINHA RETA DIRETRIZ,
Desta vez não deu nem pio:
Por que não vai pr’o motepio,
A LINHA RETA DIRETRIZ?
Toda a vida por um fio,
Segundo El-supremo o diz,
A LINHA RETA DIRETRIZ,
Desta vez não deu nem pio.

O juiz de Uruguaiana,
Também levou rabecadas
Piores que estocadas,
O juiz de Uruguaiana...
E sendo tão aclamadas,
— Em seco engulirá a gana
O juiz de Uruguaiana,
Também levou rabecadas...

Dona imprensa! Condolências!
A senhora é zero, é nada.
Não esteja aqui com pomada:
Dona imprensa! Condolências!
Tal foi a sentença dada,
N’um senac’lo de Eminências,
Dona imprensa! Condolências!
A senhora é zero, é nada!

Pois toma pr’o teu tabaco,
Ó! Imprensa aventurosa;
Não foste criteriosa,
Pois toma pr’o teu tabaco!
Não quizeste água de rosa
Em rapa-pés ao CONTRATO
Pois toma pr’o teu tabaco
Ó! Imprensa aventurosa.