Página:A Bella Madame Vargas.djvu/222


Carlos (tirando o revolver do bolso da calça e colloca-o no bolso do casaco).

Seja a Bella Mme Vargas, sempre até o fim. Tenha animo!


Madame Vargas 

Crapula! Eu direi tudo.


Carlos (abre todo um lado da porta).

Esperemos bem. {{small|(Precipita-se na cadeira em que está sentada Mme Vargas. Torcendo-lhe a mão.) Sinto-lhe os passos rapidos na escada. Tenha o ar de quem me presta attenção. Ande.


Madame Vargas (debatendo-se).

Larga-me! Larga-me! (e quando faz um ultimo esforço).


Belfort (entra, livido, rapido, voz forte).

Afinal encontro-te! (Carlos ergue-se attonito. Mme Vargas pende na cadeira. Belfort a Hortencia). Mil perdões por entrar na sua casa tão tarde. Mas vi luz e tive a certeza de que Carlos estava cá. Chegou de certo depois dos outros, disse eu : E subi (a Carlos). Vim buscal-o.