Página:Espontaneidades da minha alma.djvu/108

— 108 —

Mas eis que ao longe diviso
Entre as vagas susurrando,
Lá na extrema do horisonte,
Sobre o mar sereno e brando —
Os alcantis impinados
Da minha terra natal,
Qu’inda pobre, tem primores
E p’ra mim sem outra igual!

Corre, corre e sem receio
Meu fraco debil madeiro,
Não temas do mar o seio
Que é o elemento primeiro —
Não temas — qu’eis alli terra
Onde nasci — a brilhar —
Em suas aguas d’esmeraldas
Lança o ferro — a repousar!


O MEU CREDO!

À minha carinhosa Mãe.

Creio em Deus e em minha Mãe,
E na terra em que nasci —
Os amigos me fugiram —
Eu já d’amores descri,