Página:Espumas fluctuantes (corr. e augm.).djvu/241

233
ESPUMAS FLUCTUANTES


VERSOS DE DM VIAJANTE

« Oe pyrilampos que trazeis nae coifas... etc.»
É uma graciosa invençfto dos Trabalhculores do mar, onde
Be lê que as moça$ do Rio de Janeiro asgim, á no iU, parecem
trazer t*trella$ no toucado.

MURMÚRIOS DA TARDE

« E como a fouce que no chão folgara
« Mostrava a lua o semicírculo d′ouro, etc.»
Creio ter viato n&a Orientaea ou alnires uma imagem se*
melhante.

AS DUAS!LHAS

Victor Hugo escreveu — Aê ducu ilhas — a NapoleSo.

Ajaccio e S;inta Helena — berço e tumulo do heróe — justificam
o titulo deesa ode sublimo.

Os presentes versoB têm por assumpto Jersey e Santa Helena,
Hugo e Napoleão. — Duas enormes peanhãs — para dou9
enormes vultos.

Ha nâo sei que semelhanças nestes deus perfis (aliás tao
distinctos), que o espirito do pensador os roune n′ama fraternidade
lógica.

Parece <|ii, se Hugo tivesse sido guerreiro, chamar-se-ia
Napoleão; e que o heróe de Austerlitz — picta, escreveria
Lucrécia Borgia. E depois serem génios nâo é serem irmftos?
E depois não é predestinação eeta confratemidade de exilio?
estes doas postes? estes dons mares? estas doas solidões? A

h