Página:Espumas fluctuantes (corr. e augm.).djvu/28

20
ESPUMAS FLUCTUANTES

O continente desperta
No concerto universal.
Dos oceanos em tropa
Um — traz-lhe as artes da Europa,
Outro — as bagas de Ceylão...
E os Andes petrificados,
Como braços levantados,
Lhe apontam para a amplidão.

Olhando em torno então brada:
«Tudo marcha!... Ó grande Deus!
«As cataractas — p′ra terra,
«As estrellas — para os céos.
«Lá, do polo sobre as plagas,
«O seu rebanho de vagas
«Vai o mar apascentar...
«Eu quero marchar com os ventos,
«Com os mundos... co′os firmamentos!!!»
E Deus responde — «Marchar!»

«Marchar!... Mas como?... Da Grecia
«Nos doricos Parthenons
«A mil deuses levantando
«Mil marmoreos Pantheons?..
«Marchar co′a espada de Roma
«— Leôa de ruiva coma
«De presa enorme no chão,
«Saciando o odio profundo...