Página:Espumas fluctuantes (corr. e augm.).djvu/31

ESPUMAS FLUCTUANTES
23

Bravo! a quem salva o futuro,
Fecundando a multidão!...
N′um poema amortalhada
Nunca morre uma nação.
Como Goëthe moribundo
Brada «Luz!» o Novo Mundo
N′um brado de Briareu..,
Luz! pois, no valle e na serra...
Que, se a luz rola na terra,
Deus colhe genios no céo!...

Bahia.