Página:Leal consselheiro.djvu/12


O LEAL CONSSELHEIRO. Em nome de nosso senhor jhuxpõ com sua graça. E de seua muy sancta madre nossa senhora sancta maria. Começasse o trautado q se chama leal consselheiro o qual fez D. Eduarte pella graça de deos Rey de Portugal e do Algarve e Senhor de Cepta. Arrequerimento da Muy excellente Reynha dona Leonor sua molher.


Muyto prezada e amada Raynha. Senhora, vos me reõrestes que juntamente vos mandasse screuer alguãs cousas que auia scriptas, per boo regimento de nossas conciencias e coontades. E posto q saibba graças anosso senhor, que de todo suees muy comprido conhecimento com nirtuosa husança, satisfazendo auosso desejo. Conssyrey que seria melhor feicto em forma de hufi soo tractado com algufis adimentos. Eassi o fiz por uos cõplazer e filhar eno fazendo alguu spaço de sentir que pessando como sobresto ey de screuer saberia mais desta moral e vistuosa sciencia. E que me fará guardar de fazer cousas mal feitas, por seerem contrairas do que screvo, ainda que seia obra pera eu fazer pouco perteecente posto que atodos estados seia necessario saber como deuem seguir virtudes guardandosse de pecados, e outros falicimentos. E desi por alguus desta pequena Leitura se podere prestar acre- A