Página:Os Vilhancicos.pdf/26

22 : OS VILHANCICOS :

aspiravam a impregnar-se do verdadeiro sentimento religioso. Bem reconheciam que a profanação invadira as portas dos templos assemelhando-os a circos ou a tablados de ostentações mundanas.

O divino Menino Jesus, que teve sempre no seu Natal e na adoração dos Reis Magos o culto mais enternecido e popular era, sem dúvida, afinal, o mais profanado com tal ostentação, que mais parecia de autenticos entusiastas de Apolo e de Euterpe, que de adoradores do Verbo Encarnado, a Quem se prestasse veneração no seu mistério mais augusto.

E como não haviam as almas de admirável perfeição cristã, da têmpera da de Manuel Bernardes, a quem se deve a mais formosa, enternecida e poetica das invocações:


«Menino de minha alma, meo eterno nascido de inda agora, meo gracioso mòlhinho de amores perfeitos, minhas belezas encantadoras do coração humano, faze-me serafim, para que te ame muito; dá-me limpeza grande em meos labios para calçar teos pèsinhos de mil osculos santos, deixa cair das conchinhas de teus olhos uma lágrima sobre meu peito para que se abrande e acenda em claridade divina!…»