Sonetos (Antero de Quental, 1880)/Consulta

Consulta
por Antero de Quental
Poema publicado em Sonetos (1880).
CONSULTA

(A Alberto Sampaio)

Chamei em volta do meu frio leito
As memorias melhores de outra idade,
Fórmas vagas, que ás noites, com piedade,
Se inclinam, a espreitar, sobre o meu peito...

E disse-lhes: — No mundo immenso e estreito
Valia a pena, acaso, em anciedade
Ter nascido? dizei-mo com verdade,
Pobres memorias que eu ao seio estrito...

Mas ellas perturbaram-se — coitadas!
E empalideceram, contristadas,
Ainda a mais feliz, a mais serena...

E cada uma dellas, lentamente,
Com um surriso intimo, pungente,
Me respondeu: — Não, não valia a pena!