Abrir menu principal
Tulipa Real
por Cruz e Sousa
Poema publicado em Broqueis (1893).
Obra com ortografia atualizada disponível em Tulipa Real (ortografia atualizada).




Carne opulenta, magestosa, fina,
Do sol gerada nos febris carinhos,
Ha musicas, ha canticos, ha vinhos
Na tua estranha bocca sulpherina.

A fórma delicada e alabastrina
Do teu corpo de límpidos arminhos
Tem a frescura virginal dos linhos
E da neve polar e crystalina.


Deslumbramento de luxuria e goso
Vem dessa carne o travo acciduloso
De um fructo aberto tropicaes mormaços.

Teu coração lembra orgia dos triclinios...
E os reis dórmem bizarros sanguineos
Na sêda branca pulchra dos teus braços.