Abrir menu principal

Um esculptor em madeira (ortografia original)

Um esculptor em madeira (ortografia original)
por Desconhecido
Artigo de 1897 sobre Zeferino José Pinto. Foi mantida a ortografia original. Publicado originalmente em Branco e Negro. Semanário Illustrado. Lisboa, A. M. Pereira, editor. N.º 84, 7 de novembro de 1897, pp. 81–84. (PDF)


Conta o Porto um distincto esculptor em madeira que tem afirmado o seu inconfundivel merecimento em numerosos trabalhos de incontestavel valor, mórmente em mobiliario artistico, em que nenhum outro n'aquella cidade se lhe avantaja. É o sr. Zeferino José Pinto, cujo retrato inserimos. Entalhador da Casa Real, durante longos annos exerceu o cargo de mestre das ornamentações de madeira no salão nobre do palacio da Bolsa, que foi escola de operarios, entalhadores, estucadores, lavrantes de granito e carpinteiros.

Produzindo uma grande e magnificente meza que se ostenta na sala dos retratos e que motiva a admiração de quantos visitam aquelle grandioso edificio, o Zeferino, como simplesmente lhe chamam, para logo firmou a sua reputação de incomparavel entalhador, pela graça, elegancia e delicadeza do seu privilegiado buril, sempre manejado com admiravel paciencia.

É sabido que a mobilia constitue a principal parte do que actualmente se chama a historia do lar domestico, da vida intima, nas diversas edades e povos, podendo, pelo seu estudo, chegarmos a conhecer o caracter distinctivo de cada raça e de cada epocha.

Foi o seculo XV o que mais favoreceu a producção de moveis artisticos e de luxo, de que mais bellos e numerosos exemplares se conservam. Posteriormente, o mobiliario soffreu em toda a parte uma transformação completa, que reflectiu tambem entre nós, graças ao talento de alguns artistas e á generosidade de algumas pessoas de bom gosto.

Zeferino foi creado n'este impulso e levado n'esta corrente.

O ultimo trabalho notavel executado pelo primoroso artista foi uma mobilia de que damos as gravuras de tres peças e que a imprensa portuense calorosamente elogiou, quando se expoz no salão nobre do Centro Commercial.

O sofá, de grande magestade e imponencia, mede 3m,50 de comprido, por 1m,80 de alto ao centro; tem dois armarios aos lados, assentando em cima de cada um d'elles um vaso, de estylo manuelino, com um opulente bouquet de flôres, trabalhadas em madeira macissa, constituindo uma verdadeira maravilha de paciencia a tenuidade das petalas, o recorte, a delicada separação de todas as partes componentes do gracioso ramo.

A mesa jardineira tem uma tampa de imbrincados ornatos em baixo relevo, tão perfeitos que se diriam gravados em uma salva de prata. Os pés e as cercaduras são de grande belleza, pela profusão de ornatos.

Cada cadeira mede 1m,60 de altura.

Toda a ornamentação d'estas peças é um mixto Renascença e Luiz XV, apresentando 156 figuras, em diversas posições. A madeira é lustrada a cera e o estofo é setim marron, com ornatos de velludo em relevo, fazenda de alto preço. Impeccavel, a perfeição de mão de obra de toda esta mobilia; em cada vasado, em cada capricho de talha, revela-se o artista talentoso e correcto em todas as minudencias.

No Palacio de Crystal expoz ha annos o mesmo artista um espelho de primorosa moldura e dois vasos com flôres que, pela transparencia, aveludado das petalas e colorido da folhagem, formada de diversas madeiras, davam a impressão do natural.

Mais tarde submetteu á apreciação publica dois plinthos, com todas as faces recamadas de emblemas e ornatos de variado desenho; flôres diversas, cabeças de anjos, peixes e animaes enriqueciam os dois objectos, cujo valor se augmentava com os bustos de homens celebres, bellamente esculpidos. Levaram 3 annos a concluir as duas peças.

Foram executados estes moveis, bem como outros, por encommenda do illustre medico homeopatha sr. dr. Rebello da Silva, que nunca regateou ao artista o preço da sua obra.

Um sanctuario de pau santo, destinado a um abastado capitalista portuense, revela um inexcedivel bom gosto e um conhecimento pratico e profundo da arte. Um sumptuoso portico, rematado por uma cupula elegante, assenta sobre quatro columnas doricas, cujas bases tem ornatos inspirados em assumptos de natureza vegetal, executados com inexcedivel esmero. A cupula vê-se encimada por um pelicano que, na sua attitude e posição, testifica a consciencia do artista que se compenetrou perfeitamente da ideia que quiz representar. O Commercio do Porto de 26 de julho de 1881 noticiava, nos seguintes termos a conclusão d'esta obra d'arte:

"Congratulando-nos sempre com todas as manifestações da cultura artistica que vão surgindo no nosso paiz, não podemos deixar de assignalar ao exame dos apreciadores do bello artistico um trabalho digno de observação. Referimo-nos a um luxuoso sanctuario de pau preto, opulentamente ornamentado, que acaba de ser confeccionado na officina do conhecido e apreciado entalhador d'esta cidade o sr. Zeferino José Pinto, mestre das obras de talha da Associação Commercial.
O sanctuario representa um sumptuoso portico assente sobre quatro columnas doricas e encimado por uma cupula gigantesca, em cujo apice assenta um pelicano. Começando a examinar uma a uma as partes d'esse bello conjuncto, deparam-se-nos copiosas bellezas; as bases das columnas são recamadas de ornatos em madeira, inspirados em assumptos da natureza vegetal e abertos com a paciencia e cuidado de um verdadeiro artista n'aquelle genero. As flores, variegadas de columna para columna, são entrelaçadas com outra ornamentação de gosto, destacando perfeitamente um tão superior conjuncto.
Nos fustes das columnas captiva agradavelmente a vista a ornamentação larga mas mimosa que se observa no terço inferior, ornamentação toda aberta, com inexcedivel perfeição, na propria madeira. Os dous terços superiores são preenchidos com as canelluras que ordinariamente se encontram nas columnas da ordem architectonica a que estão referidas. O capitel destaca perfeitamente com o seu folheado lançado distinctamente.
O frontão do portico é todo coberto de ornamentação, sendo graciosissima a que foi collocada no vão comprehendido entre as columnas da frente e o arco central, pois desprende-se graciosamente em grande parte da extensão d'este. A moldura que cerca a porta do sanctuario é miudamente trabalhada e destaca perfeitamente no meio de todo o conjuncto.
Cobre toda a parte que deixamos descripta uma cornija proeminente e cujos frisos são bellamente lançados, assentando sobre ella em cada um dos quatro angulos, umas peanhas, de conformação pouco vulgar, mas que, pela sua corpulencia e delicadeza de ornatos, sobresahem perfeitamente na eminencia em que foram collocadas.
As quatro arestas da cupula são formadas por bellas raphaelas, lançadas garbosamente, sendo o espaço que ellas abrangem preenchido com ornamentação.
O pelicano que encima a cupula está trabalhado com felicidade, sendo para notar a posição do pescoço reclinado sobre o peito, em acção de procurar no proprio sangue a alimentação dos filhos que anciosos se lhe collocam em frente, nas ancias da sua fome. As azas, em attitude de protegerem aquelles pequeninos seres, são um dos attributos mais acommodados ao phenomeno especial que se procurou representar.
Todo o sanctuario, tal como o acabamos de descrever, mede 2m,33 de altura e 1m,20 de largura, sendo um objecto riquissimo no seu genero, do qual se póde ufanar o seu author, e com o qual se deve regosijar o seu possuidor, o sr. José Pereira da Costa."

D'outro trabalho pacientissimo e correcto do nosso artista, existente na Casa Real, disso o mesmo periodico, em maio de 1877:

"Trabalho primoroso é o nome que justamente convém ao que acabamos de ter diante dos olhos, feito pelo distincto entalhador e mestre das obras de talha da Associação Commercial d'esta cidade, o sr. Zeferino José Pinto.
O trabalho a que nos referimos são umas armas portuguezas executadas em buxo, e que servem de remate a um quadro de jacarandá, pau setim e pau rosa, contendo o diploma de presidente honorario da Associação Commercial de Beneficencia do Porto, que uma commissão da mesma associação vai brevemente a Lisboa offerecer a S. M. el rei o senhor D. Luiz.
A delicadeza e perfeição do trabalho de que nos occupamos são inexcediveis. A corôa, as palmas e ramo de oliveira e carvalho que se entrelaçam na parte inferior, cercando aos lados o escudo, são de uma tenuidade e primor que assombram. Em qualquer materia maleavel seria impossivel executar trabalho mais minucioso e perfeito. Se se attender á dureza da madeira e ás proporções das armas, que não medem mais de doze centimetros de alto, o envasamento da corôa, das palmas e dos ramos devia ser de uma difficuldade, que só vendo-se, se acredita que foi triumphalmente vencida."

Um espelho que expoz por outra occasião apresentava uma moldura preciosa; no topo, ao centro, avultavam as figuras de Apollo e das muzas; na base, a cabeça de Minerva; e aos lados, os bustos de Esculapio e de Hippocrates. Este objecto, como uma grande parte do mobiliario rico, producção do nosso artista, foi tambem encommendado pelo medico homeopatha sr. dr. Rebello da Silva.

Zeferino José Pinto é egualmente um primoroso esculptor de imagens religiosas, desde a miniatura ao tamanho natural, de tribunas e altares em todos os estylos, andores, tocheiros, castiçaes, jarros, cruzes, sacras, peanhas, de todas as esculpturas decorativas dos templos, emfim, tendo sido premiado em exposições nacionaes e estrangeiras, com 12 diplomas, sendo um de merito e outro de primeira classe e com 6 medalhas, sendo uma de honra.

O seus productos de mobiliario artistico caracterisam-se geralmente pela grande riqueza de ornamentação e consideravel fecundidade na creação de assumptos decorativos; e muitos assignalam-se por um gosto severo, magestoso e imponente.

Seu filho Antonio Alves Pinto é tambem um esculptor distincto; educado pelo saudoso Soares dos Reis, tem apresentado trabalhos de esculptura religiosa que mereceram á imprensa portuense alevantados elogios, sendo justamente considerado como continuador e herdeiro da tradição e do solido talento artistico de seu pae, em cuja officina exerce a sua actividade.