Abrir menu principal

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo/XXX

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo por Garcia de Resende
Hida d' el-rey a Montemor-o-Novo, e do que aqueceo ao marquês da dita villa no recebimento d' el-rey, e das palavras que ouve com ho arcebispo de Braga


E porque na cidade d' Evora começaram a morrer de peste, el-rey com sua corte no Janeiro seguinte de quatrocentos e oitenta e dous se foy a Montemor-ho-Novo pera ahi acabar de despachar as cousas particulares das cortes, e assi ordenar outras que pera bem de seus reinos e estado cumpriam.

E antes d' entrar na dita villa hindo com grande doo e todos vestidos de burel e almafega, ho marquês de Montemoor ho veo receber ao caminho com hum argao e pelote d' almafega, e debayxo hum gibão de brocado que parecia, e vinha em hum ginete arrayado com huns cordões e topeteira cramesins, querendo dar a entender a el-rey que tinha muito prazer e contentamento delle reinar e muy alegre lhe beijou a mão. El-rey ficou muy espantado de tamanha desonestidade, e ouve disso muito desprazer; e porque as cousas mal feitas nam deyxava passar sem reprensam ou castigo, mandou logo dizer ao marquês que se lhe lembrava a elle, que ho rey por quem trazia tal doo, ho fezera marquês e lhe dera Montemoor, e lhe fizera sempre muita honrra e muytas merces. Do qual recado ho marquês ficou envergonhado e escandalizado d' el-rey.

E logo na vlla por darem a Dom João Galvam arcebispo de Braga d' apousentadaria hũas casas de hum criado do marquês que elle quisera escusar e nam pôde, disse ao arcebispo pubricamente palavras feas e injuriosas de que ho arcebispo muito sentido e ynjuriado foy loguo fazer queyxume a el-rey, que mostrou receber por isso muito descontentamento; e por ser no começo de seu reynado e em sua corte e antre pessoas tam principaes, sendo verdadeiramente enformado do caso esteve logo sobre isso com pessoas do conselho e leterados todos sem sospeita; e sem mais dilaçam mandou ao marquês que logo naquelle dia se saysse da dita villa de Montemor, e dentro em cinco dias se passasse alem do Tejo onde estaria atee sua merce. E tanto que o recado foy dado ao marquês que ja no castelo onde pousava estava como preso, se sahio logo e em tudo comprio o mandado d' el-rey mostrando-se disso muyto agravado, descontente, e injuriado. E dentro nos cinco dias se foy a Castello Branco onde alguns dias esteve.