Abrir menu principal

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo/XXXVII

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo por Garcia de Resende
De hũa fala que el-rey fez ao duque de Bragança


“Muito honrrado duque, porque as cousas que vos agora quero dizer ham-de ser ditas nesta casa sancta em que estamos, aveis de crer que sam tam verdadeiras, como se diante de Deos vo-las disesse. Eu sam enformado que vós contra o que a mi deveis e a meu estado e serviço, e sem aquelle resguardo que a vossa honrra e lealdade pertence, tendes em Castella algũas negoceações, modos, e maneiras, que nam sey como lhe dee fee poys tantas rezões pera mi e pera vós sam a isso muy contrairas. Porém se nisso com algũa maginaçam errada algũa cousa entendestes, sabey que minha vontade e verdadeiro desejo he esquecer-me de tudo, e assi vo-lo perdoar como se as culpas disso fossem serviços e merecimentos. Pollo qual com toda efficacia que posso, e mais do que devo vos rogo muyto, que posposto tudo queiraes ser conforme comiguo, poys me Deos fez e deixou por erdeiro desta coroa de Portugal; que em tantas cousas por merecimentos vossos, e dos que decendeis vos foy e he tam liberal, que soes por ysso apos mi nestes reynos outro principal esteo que ho deveis soster. Porque alem do muito patrimonio real que comvosco partio, sabeis que da nobre geraçam das duas yrmaãs que do ynfante Dom Fernando, e da infanta Dona Breatiz naceram, deu a mi hũa e a vós juntamente nam negou a outra. E com tudo eu nam me escuso da culpa geeral que dam aos juyzes e officiaes novos, e assi sera ao rey novo, de quem em seus principios nam se escusam alguns agravos. Mas estes quando agravassem, vós sobre todos por singular enxempro de obediencia e lealdade os avieis de comportar e sofrê-los sem paixam, quanto mais que hos meus pera vós, que sam ho degredo do marquês vosso yrmão, e a entrada dos corregedores em vossas terras, nam sam tam crimens, que na rezam e honestidade nam tenham muita parte; e que ha nam tevessem soffrendo-os sem escandalos, tanto mays me obrigarieis, porque sendo assi, bem sey que por vossa grandeza e merecimentos, vosso saber e lealdade, enfim sempre ey-de folgar de fazer ho que vós quiserdes. E por tanto a mi a quem esta casa de Portugual per graça de Deos coube em soçessam aveis sempre em tudo ajudar e soster, nam somente com o saber e bom conselho que tendes, mas com has armas e forças quando me comprir; e assi vo-lo rogo e outra vez encomendo que o façaes”.