Página:Cinematographo.djvu/69

CINEMATOGRAPHO
47


— Não faço troça, meu amigo. Estou plenamente certo que nenhum dos sabios da minha geração é capaz de contestar o que lhe disse. No grupo dos felizes da proteção da minha época, ha uma grande diferença para melhor em favor da atual geração. Ou os governos e os scientistas que auxiliam os governos nas reorganizações de ensino estão em erro, ou calumniam para arranjar os protegidos formados nas reorganizações elaboradas.

E’ um crime falar da desmoralização da mocidade, meu caro discipulo. O ensino não chegou a essa baixeza. Para me justificar, basta examinar de leve os diferentes departamentos do nosso saber e notar o grande numero de moços cheios de cultura de moralidade. Veja os talentos nas escolas, veja o numero dos que aparecem violentamente, examine os que ocupam logares de responsabilidade dando resultados brilhantissimos, estude o jornalismo, a arte, as sciencias d’agora, comparando com os de trinta annos atrás. E’ a mocidade, a sagrada mocidade sempre incomparavelmente melhor do que nós, a mocidade que nos arranca o facho para lhe dar á chamma vida maior, luz maior, brilho mais intenso...

— Oh! professor...

Estavamos na Avenida Beira-Mar, sombria, deserta, naquelle trecho que foi o Russel. O capim crescia como o desleixo do bluff prefeitu-