Página:Espontaneidades da minha alma.djvu/27

— 27 —

UMA NOITE DE NATAL.


Natus est Jesus.


I.


Ó Templo Sacrosanto! inspirae-me,
Em novos carmes, suave — grato incenso,
Para do mundo ao nado Redemptor,
Hymnos de gloria, em sublimes versos,
Pulsando a lyra, ufano offerecer!
Mais um canto piedoso agora entôe
Quem máguas de Christão no peito sente,
E que ante ti, ó Deus tão poderoso,
Curvado, humilde implora de seus erros
A vénia tua, ó Lume alvinitente
De principio uno e trino egregia próle!


II.


Tange, tange, ó campanario,
O teu tanger festival,
Que é hoje dia sagrado
Dia do Santo Natal.

Como correm pressurosos
Velhos, moços e meninos