Página:Espumas fluctuantes (corr. e augm.).djvu/128

120
ESPUMAS FLUCTUANTES


Lá onde as vagas nas arêas rolam,
Bem como aos pés da Oriental Stambul...
E da Tijucana nitente espuma
Banham-se as filhas do paiz do sul.

Onde ao sereno a magnolia esconde
Os pyrilampos de lanterna azul,
Os pyrilampos, que trazeis nas coifas,
Morenas filhas do paiz do sul.

Tenho saudades... ai de ti, São Paulo,
— Rosa de Hespanha no hibernal Friul —
Quando o estudante e a serenata acordam
As bellas filhas do paiz do sul.

Das varzeas longas, das manhãs brumosas,
Noites de nevoa, ao rugitar do sul,
Quando eu sonhava nos morenos seios,
Das bellas filhas do paiz do sul


Em caminho, Fevereiro de 1870.