Abrir menu principal

Página:Espumas fluctuantes (corr. e augm.).djvu/131

123
ESPUMAS FLUCTUANTES


A BOA-VISTA


Soiiba, poeta, Kroba I Aqui sentado,
Ko tosco assento da Janella antiga,
Apoias sobre amftoaface pallida,
SotriDdo— doi amores á cantiga.

(▲LTABI8 DB AZSTKDO.)

Era uma tarde triste, mas límpida e suave...
Eu — pallido poeta — seguia triste e grave
A estrada, que conduz ao campo solitário,
Como um filho, que volta ao paternal sacrário,
E ao longe abandonando o murmur da cidade,
— Som vago que gagueja em meio a immensidade,
No drama do crepúsculo eu escutava attento
A surdina da tarde ao sol, que morre lento.