Abrir menu principal

Página:Espumas fluctuantes (corr. e augm.).djvu/201

193
ESPUMAS FLUCTUANTES


os PERFUMES


A. [,.

O sândalo é o perfume das mulheres de
Stambul e das huris do propheta; como as
borboletas, que se alimentam do mel, a
mulher do Oriente vive com as goKas dessa
essência divina.

(J. DE Alencar.)

O perfume é o envolucro invisível,
Que encerra as formas da mulher bonita.
Bem como o salamandra em chammas vive,
Entre perfumes a sultana habita.

Escrinio avelludado onde se guarda
— Collar de pedras — a belleza esquiva,
Espécie de chrysalida, onde mora
A borboleta dos salões — a Diva.

Alma das flores — quando as flores morrem,
Os perfumes emigram para as bellas,
Trocam lábios de virgens — por boninas,
Trocam lyrios — por seios de donzellas!