Abrir menu principal

Página:Espumas fluctuantes (corr. e augm.).djvu/247

239
ESPUMAS FLUCTUANTES


DURANTE UM TEMPORAL


Vae funda a tempestade no infinito.
Ruge o cyclone tremido e feroz...
Uiva a jaula dos tigres da procella.
— Eu sonho tua voz. —

Cruzam as nuvens refulgentes, negras
Na mão do vento em desgrenhados elos...
Eu vejo sobre a seda do corpete
Teus lúbricos cabellos...

Do relâmpago a luz rasga até o fundo
Os abysmos intérminos do ar...
Eu sondo o firmamento de tu′ alma,
A luz de teu olhar...

(1) Do álbum da Exm* Sr" D. Amélia Rebello da Cunha,
irmã do poeta.