Página:Espumas fluctuantes (corr. e augm.).djvu/252

244
ESPUMAS FLUCTUANTES


E OS corvos nrçros revoam
Sobre o campo ahrazador!...

Palmares! a ti meu grito!
A ti, barca de granito,
Que no sossobro infinito
Abriste a vela ao trovào,
E provocaste a lajada.
Solta a flannnula agitada,
Aos hurrahs da marujada.
Nas ondas da escravidão!

De bravos soberbo estádio′.
Das liberdades palladio,
Tomaste o punho do gladio,
E olhaste rindo p′ra o vai.
— Surgi de cada horizonte,
Senhores! Eis-me de fronte!.E
riste... O riso de um monte
E a ironia de um chacal!

Cantem eunuchos devassos
Dos reis os marmóreos paços:
E beijem os férreos laços,
Que não ousam sacudir...
Eu canto a belleza tua,
Caçadora semi-nua.