Abrir menu principal

Página:Espumas fluctuantes (corr. e augm.).djvu/291

283
ESPUMAS FLUCTUANTES



Porque um sopro roçou no relicário?

I′] desmaias, Carlota, de remorsos?

Se é por is.so, não pizes tanto os olhos...

I-Vjniiosa creatural
O nmndi) é um mar dt; pérfidos escolhos.
Quem te i)ode lançar primeiro a pedra?

Amor e formosura!
Deus nâo corta a roseira, por(|ue medra...
Se é por isso, nào pi/.es tanto os olhos!

Mas nào! chora! teu mal é sem remédio..

Serás martyr sem palma,
Pregada numa cruz... na cruz do tédio!
Fria Carlota! cobre-te de pejo!

Mataste á sede um′alma!
Fizeste o crime... de negar um beijo!
Chora! que este remorso é sem remédio!

Bahia, 31 de Maio de 1871.