Página:Leal consselheiro.djvu/223


Capitullo? 1JX. Por que mynha teen(?om he nom me ajudar em este trautado de alhea ]eytura por mjnha, saluo em allega- ?oo?s ou parte dalguiis c.apitullos firados doutros ufos, potera este ajuso scripto, que me odoutor diego affonsso do meu des?bargo deu, sabeRdo que desta uir.. rude da prudencia algu? cousa screuya por me parecev deprouoitosa enssynan(?a em seu nome omandei aquy screuer, corn ainuils mais adymento8 e co?regymento /)era segu?'r mynha teen?om necessarios. �A Lfirtude geeralmente he propriedade no hornera pei]a qual sua razom'dereytamento conssetha? e auoon- t?de bern m';tdada e assenssuailidade obedeee como de- ue. Nora se chama pero uirtude I?OStO que se assy fa? em todas cousas, mas naqueilas soomeate que sore ?os defazer aos homeLSs, e pot tanto disserom os ?itijgos que auerdacleira uirtuda esta em tres autos .s. em come.? ter grandes, e graue$ cousas de lazer atodomem em so. pottar e softer as cousas coatrairas ao seu desejo, e em abst?nencia das delleita(?oo?s. Ezra uirtudo se par- teem dua?, hu';t ho natural', e outr? moral. A natural he aquella que naco da igsalla(?om dos eHemento? temperamento ctumores, e �e/?om do corpo o.t?. daqueb- ]as partes onde queste soo aquelle ho uirtuoso ? sero l?ena leda'mente' e ajnda dei|eitandosse obra uirtudes. E esta natural ?e parto em duas, hu? he prudencia, o outra justira e arebas estom' na natura!ieza jntel]eituai, outros lho. chainare spiritua[ Epor quanto aeesta uatureza spiri, tual ha duas potencias .s. jntendimC?to e apetito oqual 'geeralmente se chama uoo?tade? A prudencia he tlca- da no jntendymento, e ajusti(?a na uoontade E como quer clue eatas dua? aom tenhg do temperat algu?