Página:Leal consselheiro.djvu/268


0 LE&L CON?ELHglltO. 'seja proue?toso lazer seus feitos per consse]ho, aeste mais he neceasario Esso oentender bern consselha mss auoo. ntade per afei?om regidooO., ou fraqueza nora quer obedecer, e ctlpryr oquelhe mostram, por ma/s seu b?, e guards da9 uirtudes, aculpa 'nom he no enten- der que tern em tal'pessoa, Iogar de consselheiro des- prezado mss na uo/itade que he sonhora. Eassemeihart- ?es dear. ands uentu/ra podem torn?r auirtuoso camynho se nosso aenhor deos c/t as uirtudes da fie, speran?a ca.ridade, os nora cortege. Acerca desto, eu uejo cyn- ?o maae/ras dhome?s, seguy. dores deuoontade, e tre? sordenadamente de sou entender. Os que pouco tendera, e ham ryjas uoontades, cousas dellas nora uebram mss em todo se trabalh.am deas compryr? ulgando .aque]]o que lites praz alelazer, n6 seer real, ou petado, ajn. da que leterados, e os mais entendidos digam ocontralro, ou posto queo a'a or erro, diz'q �? P ?om ha de seer perfelto Eporem nora monta husar na quello como desej a , pois has outras cousas lhe parece que faz oque deue."Ealgu/ls que todos leixam apredi$- tinaqos?, dizendo que seham des?eer saluos que nora pods seer ocontrairo, e que porem nora deuem leixalr alelazer oque lhes mais praz, pois todo ha deuljr pet uentuira predestynaqom, ou ordenam}a das pranetas. Outros que per maao.custume da mocldade, sore ashy feitos fr?cos que n/? podem contradizer ao pecado no. tempo 'ds tentaqom., dos quaass diz nosso senhor que. atempos creem, e no.tempo da tentaqom desfallecem. ?ssemelh/tte fazem os que sore ereges, e nora cre�outra uyda sonora esta. Cataaes toda bern auenturanq?. 1)o?e em seguyr e compryr sous desejos F. minda que. ?areqom entendido?, e nom se atreuom er aliaura .. P P mostrar suas descreenqas. Porem o testemunho dessous feltos b/? odemostra .Ca nora se uencem ahu? cado, mas aquantos per .uoontade sore r?queridos..Os ?Pguydores de sou entender sore aquelles que per usam ?toria muyto so alestom, em lama demuyto entend/- K? Googlc