Abrir menu principal

Página:Phalenas.pdf/122

— 118 —

Por celebrar teu nome, as graças tuas,
        Levar teu nome aos seculos.

Olhaste, e meneando a airosa frente,
        Com tuas mãos purissimas,
Folhas em que escrevi meus pobres versos
        Lançaste ás ondas tremulas.

Busquei então por encantar tu′alma
        Uma saphira esplendida,
Fui depôl-a a teus pés... tu descerraste
        Da tua boca as perolas.