Abrir menu principal

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo/CXVIII

Vida e Feitos D' El-Rey Dom João Segundo por Garcia de Resende
Da grande sala de madeira que el-rey mandou fazer


E porque nos paços todos nam avia casa tam grande e em que tanta jente se podesse agasalhar, avendo ahy grandes salas, mandou el-rey fazer hũa salla nova de madeira per grande engenho e arteficio, e cousa grande que se fez onde era a horta de Sam Francisco pegada com a porta do moesteiro, e os paços que jazia ao longo norte e sul, tamanha que era de longuo de trezentos palmos, e de largo de setenta e cinco palmos, e de alto de setenta e dous palmos. Foy armada das paredes sobre grandes e fortes mastos que com grande custo de Lixboa foram trazidos, e antre os mastos de paredes e taypas, e per cima armada de mastos delgados e outras madeiras, e cuberta de tavoado trincado e calafetado e breado como nao de madeira que nam podia chover nella gota d' aguoa. E de dentro era toda das paredes e de cima armada e toldada de ricos e fermosos lambees, cousa nova que parecia muyto bem polla deferença que tinha dos brocados e tapecerias. Tinha a porta principal muyto grande com as portas muyto bem pintadas, no topo contra o norte, e no outro topo era feyto hum muyto grande estrado real que cheguava de parede a parede, a que subião per muytos degraos, tudo alcatifado de ricas alcatifas. E contra o ponente tinha hũa porta junto do estrado de que se serviam pera os paços por onde as pessoas reaes vinham e hiam; tinha quatro casas de fora peguadas nella com muyto grandes arcos altos nas paredes da sala, dous de cada banda que a faziam ainda parecer mayor, pera muitos menistres que nellas estavam muito altos e bem gasalhados donde tangião aas suas vontades. E hum muito grande cadafalso aa entrada da porta aa mão esquerda pera trombetas bastardas e atambores, de muytos degraos em que estavam assentados aas suas vontades sem tolherem vista huns aos outros. E aa mão dereita era feita hũa muito grande e muyto alta copeyra de muitos degraos a mayor que nunca vi, que tomava da porta atee a parede da sala; tinha tanta e tam rica prata, e tantas e tamanhas e ricas peças que era cousa espantosa e de grande maravilha. E ao longo da sala de cada parte foram feitos huns estrados que chegavam de junto da copeyra e cadafalso das trombetas atee junto do estrado real, a que subiam por degraos e tinham de cada parte duas grades de pao muito bem lavradas hũa que estava no chão ao pe dos degraos e a outra no degrao de cima. Isto pera nos degraos vazios antre hũa grade e ha outra se recolher e estar muita gente sem pejar a sala, e verem todos muyto bem sem tolherem vista huns aos outros, os quaes eram pessoas honrradas, cortesãos, e cidadãos que ali entravam per mandado dos mestres-salas; e da grade de cima estavam as mesas e os servidores que delas estavam ordenados os que eram necessários e mais nam. E as mesas que estavam em todo cima com seus assentos encostados aas paredes, eram por todas quatorze mesas muito grandes, sete de cada parte em que cabia muyta gente; e no meo destes estrados ficava a sala despejada em muito grande largura e o chão bem argamassado. E ao longo da sala em dereito das primeiras grades, estavam altos pendurados no aar per polees que vinhão de cima do madeyramento, trinta castiçaes muyto grandes e muyto bem feitos em cruz e dourados, e em cada hum estavam quatro tochas, e debaixo de cada castiçal bacios muyto grandes, em que as tochas pingavam por nam pingarem sobre a gente. De maneira que durando as festas na sala sempre no ar ardiam cento e vinte tochas, alem das com que os pajes serviam que eram cento afora os brandões que estavam pollas mesas, e na copeira que eram muitos, e serião por todos perto de trezentas tochas e brandões acesas que ficava a sala tam crara como se fosse de dia.