Arte de Grammatica da Lingoa mais Vsada na Costa do Brasil/VIII

Da Conſtruição dos verbos actiuos.
Cap. VIII.


S

Endo a terceira peſſoa accuſatiuo falaſe direita mẽte pelos articulos ſẽ nhũa mudãça, vt,aiucâ Pedro, mato a Pedro, erejucâ, ojucâ, & ſic in plurali, orojucâ, yajucâ, ojucâ, ſẽpre Pedro he o accuſatiuo, porq̃ não ſe perde os articulos, & eſtá claro. Sendo a terceira nominatiuo, & accuſatiuo, ainda q̃ pode auer algũa amphibologia, cõtudo pella mate ria q̃ ſe trata cõmumẽte fica claro, como de couſa animata com in animata , ou de mayor qualidade

com menor vt. Pedro come pão, bebe, pranta, derruba aruores, &c. claro eſta que Pedro ha de ſer nominatiuo de qualquer maneira que ſe ponha, vt Pedro oûmiapê, Pedro miapêoû, miapê Pedro , oû Pedro miapê. E por aqui ſe entendera o mais. Pedro pirâoû, Pedro come peixe. Pedro jagoára ojucâ, Pedro matou a onça.

Quando ha igualdade , entâo he aduuida, como : Pedro matou a Ioanne,Pedro Ioanne ojucâ, porque ambos podem ſer nominatiuos , & accuſatiuos. Mas quando na pratica não ſe declara bem vſaſe dos participios,âra, îra, como dizendo, Pedro foy o matador, Ioanne foy o morto, Pedro yjucaçára, Ioanne, yjucapîra.

Quando as couſas de menor valia, ſã nominatiuos vſaſe da primeira plural, ya, vt xerúba tobajára yaú , os contrarios comerão meu pay, mbóya, Pedro. yaixuû, a Cobra mordeo a Pedro, Pedro taíra yainupa ̂̑, ſeu filho, ſ. de Pedro, açoutou a Pedro.

Ainda que tambem ſe pode vſar deſte, quando o no minatiuo he de maior eſtima, ſecundum ſubiectã materiam vt morobixába mondâ yainambiôcucâr, vel, oniãbîócucâr, o juiz mandou deſorelhar o ladrão.

Tambem ſe vſa deſta primeira plural por terceira imperſonaliter, vt yajucâ. matão, ſem ter nominatiuo expreſſo.

Em toda a mais conſtruição, ſendo qualquer das outras peſſoas accuſatiuo, ſe perde o articulo, & o accuſatiuo ſe ha de por a parte ãte immediato ao verbo,vt xejucâ Pedro. Pedro me mata. ndejucâ, yjucâ,orejucâ, yandejucâ, pejucâ, yjucâ. Sempre a primeira, & ſegunda peſſoa, he accuſatiuo. O nominatiuo ponhaſe ante,vel poſt ad libitum,por que o accuſatiuo ja fica claro. Porque ha deſtar immediato ao verbo á parte ante , ou repetido duas vezes de algũa outra parte ſe interpoem, vt

xépèxèjucâ, a mi me matão?
ndècorîndejucáne, ati oje te matarao.

Ou repetido, o pronome relatiuo ſe for na terceira peſſoa vt Pedro jucáreme, ſe eu matar á Pedro.

Pedro xèyjucáreme, o meſmo, por que tem, o, y. relatiuo repetido, Pedro raucúme, porque eu amo a Pedro, Pedro xèçauçúme , idem , repetido o ç. relatiuo.

Sendo a primeira, nominatiuo, & a ſegunda accuſatiuo vſaſe dos occuſatiuos, orô, opô, vt ſupra.

xeorôjúcâ, eu te mato.
xeopôjucâ, eu vos mato.
oreorojúcâ, oreopôjucâ˙

Sendo a ſegunda nominatiuo, & a primeira accuſatiuo, acrecentaſſe no fim, yepê, no ſingular, peyepê, no plural, vt xejucâyapê, matame tu, xejucâpeyepê, mataime vos outros , orêjuçâyepê, orêjucâpeyepè E ainda que ſe não ponha expreſſo, o nominatiuo da primeira, nem ſegunda,fica claro, porque, orô, opô, yepê, peyepê não podem ſeruir em ontra conſtruição.

A ſegunda plural , com a terceira vtriuſque numeri fazem a oração ambigua , porq̃ , pè, he articulo da ſegunda plural, & he tambem accuſatiuo do pronome, & aſsi ambas podem ſer nominatiuo, & accuſatiuo, vt, pejucâ Pedro, vos matais á Pedro, & Pedro mata a vos, mas a materia que ſe trata & o tom da fala inſinará iſto com o vſo.