Auto da Barca do Inferno/O Onzeneiro

Auto da Barca do Inferno
por Gil Vicente

<poem> Vem um Onzeneiro, e pergunta ao Arrais do Inferno, dizendo: Pera onde caminhais?

Dia. Oh! que má-hora venhais, onzeneiro, meu parente!

Como tardastes vós tanto?

Onzeneiro Mais quisera eu lá tardar... Na safra do apanhar[1] me deu Saturno quebranto[2].

Dia. Ora mui muito m'espanto nom vos livrar o dinheiro!...

Onz. Solamente para o barqueiro nom me leixaram nem tanto...

Dia. Ora entrai, entrai aqui!

Onz. Não hei eu i d'embarcar!

Dia. Oh! que gentil recear, e que cousas pera mi!...

Onz. Ainda agora faleci, leixa-me buscar batel!

Dia. Pesar de Jam Pimentel[3]! Porque não irás aqui?...

Onz. E pera onde é a viagem?

Dia. Pera onde tu hás-de ir.

Onz. Havemos logo de partir?

Dia. Não cures de mais linguagem[4].

Onz. Mas pera onde é a passagem?

Dia. Pera a infernal comarca.

Onz. Dix! Nom vou eu tal barca. Estoutra tem avantagem.

Vai-se à barca do Anjo, e diz: Hou da barca! Houlá! Hou! Haveis logo de partir?

Anj. E onde queres tu ir?

Onz. Eu pera o Paraíso vou.

Anj. Pois cant'eu mui fora estou de te levar para lá. Essoutra te levará; vai pera quem te enganou!

Onz. Porquê?

Anj.

Porque esse bolsão

tomará todo o navio.

Onz. Juro a Deos que vai vazio!

Anj. Não já no teu coração.

Onz. Lá me fica, de rondão[5], minha fazenda e alhea[6].

Anj. Ó onzena[7], como és fea e filha de maldição!

Torna o Onzeneiro à barca do Inferno e diz: Houlá! Hou! Demo barqueiro! Sabês vós no que me fundo? Quero lá tornar ao mundo e trazer o meu dinheiro. Aqueloutro marinheiro, porque me vê vir sem nada, dá-me tanta borregada[8] como arrais lá do Barreiro.

Dia. Entra, entra, e remarás! Nom percamos mais maré!

Onz. Todavia...

Dia.

Per forç'é[9]!

Que te pês[10], cá entrarás! Irás servir Satanás, pois que sempre te ajudou.

Onz. Oh! Triste, quem me cegou?

Dia. Cal'te, que cá chorarás.

Entrando o Onzeneiro no batel, onde achou o Fidalgo embarcado, diz tirando o barrete: Santa Joana de Valdês[11]! Cá é vossa senhoria?

Fid. Dá ò[12] demo a cortesia!

Dia. Ouvis? Falai vós cortês! Vós, fidalgo, cuidareis que estais na vossa pousada? Dar-vos-ei tanta pancada com um remo que renegueis!

Vocabulário

  1. tarefa de ganhar dinheiro
  2. ele atribui a Saturno sua morte
  3. alusão a alguém da platéia
  4. deixa de conversa
  5. perco
  6. meus bens e os alheios
  7. usura
  8. dirige-me tantas ofensas
  9. é inevitável
  10. ainda que te custe
  11. conhecida alcoviteira
  12. ao