Em Tradução:Bíblia Aberta/Gênesis/Capítulo 2

Gênesis – Capítulo 2
por Moisés


Esta página também faz parte do Projeto Bíblia Aberta.

1 Foi assim que foram feitos os céus e a terra e todo o seu exército. 2 E no sétimo dia Deus havia terminado a obra que tinha feito e passou a descansar[1] no sétimo dia [por causa] de toda a sua obra que fizera. 3 Deus abençoou o sétimo dia e o instituiu como dia sagrado[2], porque neste dia ele repousou de toda sua obra que tinha como objetivo de fazer.

4 Esta é a história dos céus e da terra quando foram criados, no dia em que Jeová[3] Deus fez a terra e o céu.


5 Ora, não havia ainda nenhum arbusto do campo na terra e não crescera ainda nenhuma vegetação do campo, porque Jeová Deus não tinha feito chover sobre o solo e não havia homem para cuidar[4] do solo. 6 Mas uma neblina[5] subia da terra e molhava toda a parte de cima do solo.


7 E Jeová Deus passou a formar o homem do pó[6] do solo e a soprar nas suas narinas o fôlego de vida[7] e o homem veio a ser uma alma[8] vivente. 8 Além disso, Jeová Deus colocou um jardim no Éden[9], no lado do oriente e ali colocou o homem que havia feito. 9 Jeová Deus fez crescer do solo toda árvore de aspecto saborosa e boa para se comer, e também pôs a árvore da vida no meio do jardim que é a árvore do conhecimento do que é bom e do que é mau.


10 Havia um rio saindo do Éden para regar o jardim, a ali ele começava a se dividir tornando-se como quatro rios. 11 O nome do primeiro é Píson; o qual circula por toda a terra de Havilá, onde tem ouro. 12 E o ouro daquela terra é bom. Tembém encontram-se ali o bdélio[10] e a pedra de ônix. 13 E o nome do segundo rio é Giom: é o que passa por toda a terra de Cus[11]. 14 E o nome do terceiro rio é Hídequel[12]: é o que vai para o leste da Assíria. E o quarto rio é o Eufrates.


15 Jeová Deus passou então a pegar o homem e a coloca-lo no jardim do Éden, para que o cultivasse e cuida-se dele. 16 E Jeová Deus deu a seguinte ordem ao homem: “De todo o fruto das árvores do jardim podes comer à vontade. 17 Mas, quanto ao fruto dá árvore do conhecimento do que é bom e do que é mau, não deves comer dela, porque no dia em comerdes o fruto dela, positivamente morrerás.”[13]


18 Jeová Deus prosseguiu falando: “Não é bom que o homem fique sozinho. Vou fazer para ele uma ajudadora que o complemente.” 19 Ora, Jeová Deus estava formando da terra todo animal selvático do campo e toda criatura voadora dos céus, e Ele começou a trazê-los ao homem para que ele desse nome a cada um deles; e o que o homem chamava a cada alma vivente, este era seu nome. 20 O homem deu nomes a todos os animais domésticos e às aves, e a todo animal selvático do campo, só que para o homem não tinha nenhuma ajudadora em complemento dele. 21 Por essa ocasião, Jeová Deus fez cair um sono pesado sobre o homem, e enquanto ele dormia, foi tirado dele uma de suas costelas e fechou então a carne sobre o seu lugar. 22 E da costela que havia tirado do homem, Jeová Deus passou a moldar uma mulher e a trazê-la ao homem.


23 O homem então falou:

         “Esta, por fim, é osso dos meus ossos
          E carne da minha carne.
          Esta será chamada Mulher,
          Porque do homem foi esta formada.”

24 E é por isso que o homem deixará o seu pai e sua mãe, e tem de se apegar à sua esposa, e eles terão de se tornar uma só carne. 25 E ambos continuavam em nudez[14], o homem e a sua esposa, porém não tinham vergonha.

NotasEditar

  1. “E passou a descansar.” Hebr.: wai·yish·bóth. O verbo hebr. está no imperfeito, denotando ação incompleta ou contínua, ou ação em progresso. Como Deus é todo-poderoso ele não se cansa. Indica que ele tirou o sétimo dia para parar seu trabalho e apreciar o que fizera.
  2. “Instituiu como Dia Sagrado.” Ou “e passou a santificá-lo (tratá-lo como santo)”. Hebr.: wai·qad·désh ’o·thóh; lat.: et sanc·ti·fi·cá·vit íl·lum. Os israelitas, por ordem divina, guardavam o sábado como dia sagrado segundo as ordens dadas por Deus à nação de Isrrael por meio de Moisés. Neste dia os judeus não podiam trabalhar mas tinham de descansar e meditar em assuntos espirituais.
  3. Forma causativa, no imperfeito, do verbo hebr. ha·wáh (vir a ser; tornar-se); significando: “Ele Causa que Venha a Ser”. O nome pessoal de Deus (Salmos 83:18). “Jeová” é a pronúncia mais conhecida do nome divino em português e em inglês (Jehovah), aparentemente derivada da sobreposição das vogais de ‘Adonai’ no Tetragrama YHwH: YaHoWaiH. A maioria dos hebraístas é a favor de “Javé” (ou “Iahweh”). Os manuscritos hebraicos mais antigos apresentam este nome na forma de quatro consoantes, comumente chamadas de Tetragrama (do grego te·tra-, que significa “quatro”, e grám·ma, “letra”). Estas quatro letras (escritas da direita para a esquerda) são הוהי e podem ser transliteradas em português como YHWH (IHVH, ou JHVH). No Minidicionário Luft diz-se o seguinte a respeito deste nome: Jeová: sm. Nome de Deus, nos textos bíblicos. - Nos inscritos originais da bíblia encontram-se mais de 7000 vezes o nome de Deus Jeová (הוהי, YHWH).
  4. "Lavrar o Solo"
  5. Ou: “Mas um vapor.” Hebr.: we’édh; LXX(gr.: pe·gé)Vg(lat.: fons)Sy: “manancial”, sugerindo uma corrente subterrânea de água fresca; T: “nuvem”.
  6. Ou “argila”, segundo o uso posterior da palavra hebr. na fabricação de cerâmica. Hebr.: ‛a·fár. Romanos 9:20,21 compara os seres humanos como ao barro que é moldado pelo holeiro, Deus
  7. “Fôlego de vida.” Hebr.: nish·máth (de nesha·máh) hhai·yím.
  8. “Uma alma vivente [criatura que respira].” Hebr.: lené·fesh hhai·yáh; gr.: ψυχὴν ζῶσαν (psy·khén zó·san, “alma vivente”); lat.: á·ni·mam vi·vén·tem. Nós seres humanos somos uma alma vivente e não temos uma alma como é o conceito de muitos. Diferente do conceito da maioria quando morremos não nos sai a alma e fica vagando, antes a bíblia diz que a alma morre. Note Hebreus 18:4: "A alma que pecar — ela é que morrerá."
  9. “Um jardim [ou: parque] no Éden.” Hebr. gan·be‛É·dhen (“Éden”, significando “Prazer; Deleite”); LXXBagster(gr.), pa·rá·dei·son en E·dém; lat.: pa·ra·dí·sum vo·lu·ptá·tis, “paraíso de prazer”.
  10. [hebr.: bedhó·lahh] Fragrante goma resinosa parecida com à mirra em aspecto, e às vezes usada para adulterá-la.
  11. Hebr.: Kush; LXXVg: “Etiópia”.
  12. Hebr.: Hhid·dé·qel; LXXVg: “Tigre”.
  13. “Positivamente morrerás.” Lit.: “morrendo [sing.] morrerás”. Hebr.: mohth ta·múth; a primeira referência à morte, na Bíblia. Essa é a primeira referência de morte na bíblia. Mas como Adão e Eva iriam saber o significado de morte? Possivelmente, os animais morriam no tempo de Adão e Eva. Assim sendo, eles sabiam o que era a morte.
  14. Nus. Sem roupas. Pelados.