Abrir menu principal

O Livro de Esopo/O azemel, a mosca e a mula

O Livro de Esopo por Esopo
XXII - O azemel, a mosca e a mula
Transcrição e Notas de Leite de Vasconcelos. Vid. também A Mosca sobre a Carreta, traduzida por Manuel Mendes da Vidigueira.


XXII. [O azemel, a mosca e a mula]

       [Fl. 15-v.][P]om este poeta exemplo e diz que hũu azemell fazia correr hũa mua. E hũa mosca mordia esta mua e dizia-lhe:

— Corre ligeiramente, astrosa, ca eu ssom aquella que te punguo e faço nojo comtra tua võotade.

A mua lhe respondeo cortesamente:

— Tu falas altamente, como sse tu fosses muy poderosa! Ca eu nom temo ty, mays temo este azemell que me atormenta e faz em mym quanto mall quer.





Per este emxemplo o doutor nos amoesta e diz que o homem de vill comdiçom nom ha audaçia de falar comtra o poderoso. E esto proçede de vileza de coraçom, ca o coraçom uill he aquell que faz homem sseer pera pouco.