Página:Cinematographo.djvu/64

42
CINEMATOGRAPHO


Deixei o deputado convencido de que a instrução do meu paiz chegáraá vergonheira mais completa do globo, e ia pensando na possibilidade de ninguem saber lêr no Brasil, mesmo antes da reforma da orthographia, quando me lembrou ir consultar um velho professor dotado de grande cerebro e de um generoso coração.

Tomei um tilbury, atirei-me pelas ruas maltratadas na dynastia Aguiar, saltei na casa do velho lente, mesmo na occasião em que elle sahia.

— Você...

— Eu mesmo, caro mestre. Venho consultal-o sobre a indecencia da nossa instrução. Eu tenho um temperamento tão fantasista que ainda acredito nas correntes urbanas das opiniões, e estou neste momento prestes a achar a instrução publica atual uma escandalosa immoralidade.

— Pois venha dahi. Eu vou dar um passeio pelo cáes a olhar um pouco o mar, o «grande laboratorio» como diziam devinatoriamente os Aryas ao vêl-o pela primeira vez. Conversaremos. A coisa não é tão feia. E talvez eu o possa afirmar — porque ha quarenta annos ensin meninos...

Gravemente, o velho lente poz-se a andar. Tristemente, acompanhei-o.

Com um leve sorriso, o lente disse: