Página:Cinematographo.djvu/65

CINEMATOGRAPHO
43


— Está uma noite linda.

E depois, sem transição, continuou:

— Esta reforma está nas condições de todas as outras realizadas pelo poder temporal da nossa patria desde 1854. Isto é: visa crear cadeiras ou dividir as existentes com o fim de poder empregar meia duzia de filhotes.

— Ha muitos desses nas passadas reformas?

— Não citemos nomes. O governo na sua mensagem, meu caro discipulo, falada desorganização do ensino secundario por elle mesmo administrado, do mau preparo da geração atual. Precisam dizer qualquer coisa de atroz para justificar reformas, justificaveis apenas com a evolução e a progressão do saber. Dahi commeterem a grande falsidade.

— E a grande falsidade?

— E’ a de assegurar que a geração atual nada sabe e passa através de um tunnel de empenhos, absolutamente incapaz. Oh! Deus! que exagero! Acredita você que o empenho seja de hoje e acabe amanha? Não! o empenho sempre existiu, em todas as gerações passam protegidos mais ou menos felizes, realizando cursos scientificos graças apenas á proteção dos maiores.

Sorriu de novo e continuou:

— Para bem julgar da grande falsidade, basta comparar dois grupos: por exemplo, a minha e a sua geração.