Página:Cinematographo.djvu/66

44
CINEMATOGRAPHO


— Oh! mestre.

— Eu falo sempre sem lisonja. Em primeiro logar o grupo de protegidos da minha geração era de tal ordem, que um notavel lente, após a aprovação de um delles, na Escola Cental, levantou-se, foi á janella e gritou para a rua: «Afastem-se! Vai sahir um Burro!» Oh! não ria. Assisti na Escola de Medicina á defeza de these de um estudante, hoje notavel cidadão, de que ainda guardo uma resposta. Onde fica a celula biliar? indagava o examinador. — No cerebro! respondeu elle. Esses factos eram communs. Não me esqueço de um exame oral, cujo ponto tinha sido dado vinte quarto horas antes. Era de astronomia e o professor protegia o examinado. — Qual é o seu ponto? — A resolução do triangulo espherico A. B. C. — E se fosse o triangulo D. E. F.? O examinado respondeu: Não era o meu ponto! E foi aprovado, e hoje dá cartas em engenharia e com certeza acha que o ensino d’agora é o cumulo da immoralidade. São sempre esses os que mais gritam contra o mau preparo da atual geração...

Pelo Parlamento, meu amavel discipulo, sempre se aferiu a mentalidade de uma raça. Se hoje o Parlamento tem Heredias e meia duzia de chefes eleitoraes representantes da força da cabala, percorra os annaes antigos. Em 1867 um deputado justificada um projecto no qual entrava o peso da atmosphera. Quando o deputado falou